quarta-feira, 19 de março de 2008

Só por hoje

Eu quero chocolate, dizer “eu te amo” em francês e beijar a sua boca. Hoje me permito sentir o calor do seu corpo, arriscar-me nas dúvidas da sua ideologia e agarrar-me na insegurança das suas mãos ásperas. Só por hoje eu aceito uma xícara de café frio e aceito também aquele recado em guardanapo amassado, esquecido lá no fundo do seu bolso. Aflito, eu preciso dizer “venha logo”, para poder ouvir suas histórias atrapalhadas e suspirar nos seus ouvidos ruídos libidinosos. Basta-me um olhar complacente e, sobretudo, piedoso. Recuso, no entanto, suas migalhas, suas promessas não-cumpridas e sua falsa esperança abandonada em gestos performáticos de um passado de ausência. Hoje, eu quero cada momento de leveza, quero seu peso e quero seu vazio. Espero o sorriso gratuito e as sutilezas mais nobres. Só por hoje eu quero sonhar. Só por hoje eu vou ser feliz. Só por hoje eu tenho você.

Nenhum comentário: